Eu Tomo Conta Da Minha Vida.

Foi na garupa de uma moto que eu conheci o motociclismo e logo me apaixonei.

Nem nos meus melhores sonhos eu imaginava que este mundo existia.

Aos poucos fui conhecendo a historia do motociclismo, suas condutas, sua filosofia e me tornando mais intima, mais encantada.

Com o passar do tempo, andar só na garupa já não me cabia mais.

Queria ter o controle da maquina.

Queria ver como eles viam o mundo pilotando.

Logo providenciei a minha carteira e a minha moto.

No começo não foi fácil, o medo e a insegurança me acompanhava, mas meu companheiro de vida e de estrada, o Theo, sempre esteve ao meu lado  me apoiando e isso foi fundamental para mim.

Hoje viajamos juntos em motos separadas, eu na minha Virago 250, ele na sua Dragstar 600.

Entenda.

Não há problema algum em ser garupa se você se diverti também.

Mas na garupa eu me sentia como se estivesse viajando de ônibus sentada no corredor ou de avião na poltrona do meio apertadinha, com uma visão limitada, só conseguia ver um pouquinho lá de fora.

Hoje eu tomo conta da minha vida.

No comando da minha moto sou eu que escolho o meu caminho, eu tomo as minhas decisões, a minha vida está nas minhas mãos.

Hoje eu vejo o mundo por completo.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *