Imaginar Não é Viver

Qual é o vento que te despenteia?

Penso no vento como se fosse um menino, que assopra nos meus ouvidos, que embaraça os meus cabelos e me despenteia.

Um menino que rola na areia, que se esconde atrás das árvores, que me empurra de um lado para o outro, me puxa pra traz e me leva pra frente.

Um vento menino que levanta a pipa pro alto e depois solta.

Me lembro de quando era uma garota, sempre pedia ao meu pai para me deixar colocar a cabeça no lado de fora da janela do carro, queria sentir o vento despentear os meus cabelos.

Queria me sentir livre, eu fechava os olhos e só sentia, imaginava como seria bom voar.

Mas Imaginar não é viver.

Agora eu cresci pai.

Já não sou mais uma garota.

Hoje protejo meus cachos com um capacete e tenho uma motocicleta.

Quando estou em minha moto sinto tudo novamente.

O vento ainda é aquele mesmo menino levado.

Voar não é mais só na imaginação.

Mas não pense você que parei de imaginar, a imaginação alimenta os meus sonhos.

Agora me imagino indo longe, em lugares desconhecidos, fazendo novos amigos, navegando na estrada.

Na verdade eu não imagino eu vivo.

O vento que me despenteia voa com a minha motocicleta.

E você está só imaginando ou está vivendo?

Qual o vento que te despenteia?

Quer ir pra onde?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *