Itabira – MG

Queria falar de Itabira, falar dos seus casarões, das suas ruas por onde Drummond caminhava, queria falar da sua casa, da sua história, mas os meus pensamentos são tomados pela visão das montanhas que se desmancham em pó.

Falar de Itabira é falar de tristeza.

Olho para Itabira e só vejo a poeira que toma conta do ar da cidade.

Me pego pensando em como é a saúde dos seus moradores.

Falar de Itabira é falar sobre uma tragédia sendo escrita.

Fui até o mirante do Pico do Amor, onde esta localizado o memorial de Carlos Drummond de Andrade.

O memorial fica aberto todos os dias. Me conforta ver um pouquinho da história de Drummond, mas ao olhar para o horizonte vejo e tenho consciência do que o homem é capaz.

É triste ir em Itabira.

Itabira está logo ali, 100 km de BH.

Você pode passar pela fadiguenta rodovia 381 até Caeté e depois seguir pelo sonho da rodovia já duplicada.

Ou passar por dentro de Caeté ou ainda por Taquarasul de Minas, para fugir do trecho da estrada que esta ordinário.

Fique muito atento neste trajeto marcado por tantos acidentes e dominado pelos gigantes caminhos.

 

Te vejo na estrada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *